sexta-feira, 19 de Setembro de 2014

Noite de fados & Angariação de fundos


Imagem
O Clube Desportivo de Beja vai realizar o espectáculo “Centenarium” - noite de fados, no Sábado 27 de Setembro no NERBE, com início agendado para as 20 horas.

Os consagrados fadistas Ana Rato, Ana Tareco, Mafalda Vasques e Carlos Filipe são os cabeças de cartaz.

O Acompanhamento estará a cargo de Rogério Mestre (Guitarra Portuguesa) e Carlos Franco (Viola de Fado).

Devido à presente crise e a uma consequente drástica redução de donativos, o Clube Desportivo de Beja está a passar por uma situação desesperada de sobrevivência, pelo que a receita desta grande noite de fados é vital para a sua sobrevivência do clube, que conta para época 2014/2015, com mais de 180 atletas distribuídos entre o futebol 11 e o FUTSAL.

As reservas podem ser feitas através dos seguintes números de telemóveis: 965 465 558 / 968 448 178 / 962 765 Fonte: Fonte: http://cdbeja.weebly.com/

Farense volta às derrotas e tem agora pior ataque do campeonato!


Um golo solitário de Nadson garantiu o triunfo do Beira-Mar sobre o Farense, por 1-0, em partida da sétima jornada da Segunda Liga de futebol, disputada no Estádio Municipal de Aveiro. A equipa de Jorge Neves soma três vitórias e um empate nos últimos quatro encontros, com o avançado brasileiro a ser figura de destaque, uma vez que marcou em três jogos consecutivos pela equipa "aurinegra".

Por seu lado, a formação algarvia não foi capaz de mostrar argumentos para discutir o resultado em Aveiro, praticando um futebol desinspirado e muito defensivo, procurando apenas o erro do adversário. O Beira-Mar começou melhor e deu o primeiro aviso logo aos seis minutos, por Edu, que rematou perto da baliza à guarda de Ricardo. Ao minuto 31, foi a vez do Farense responder, por intermédio de Harramiz, mas o remate do avançado da equipa visitante passou ao lado da baliza aveirense. O único golo do encontro foi apontado por Nadson, aos 39 minutos, numa jogada rápida do ataque da formação da casa, que o brasileiro não desperdiçou. No início do segundo tempo (48 minutos), Nadson teve a oportunidade de dilatar o resultado para o conjunto de Aveiro, mas não conseguiu dar o melhor seguimento ao lance.

A turma de Pedro Correia procurou ainda reagir à desvantagem, mas mostrou-se pouco eficaz na hora de rematar à baliza, criando poucas situações de apuro para a defesa do Beira-Mar. Ainda antes do final da partida, aos 88 minutos, Adelaja recebeu ordem de expulsão do árbitro portuense Pedro Vilaça, por agressão a Alan Mota, e o Farense terminou a partida com 10 jogadores em campo.

Jogo no Estádio Municipal de Aveiro

Beira-Mar-Farense, 1-0.

Ao intervalo: 1-0.

Marcador: 1-0, Nadson, 39 minutos.

Equipas:

Beira-Mar: Márcio, Pedro Moreira, Alan Henrique, Fábio Santos, Baldé, Alan Mota, Assis, Edu (André Sousa, 62), Billal (Anderson, 71), Dieguinho (Edema, 90+2) e Nadson. (Suplentes: Erielto, Vítor Vinha, Diego, André Sousa, Anderson, Chaparro e Edema).

Treinador: Jorge Neves.

Farense: Ricardo, Carlitos, Wei (Márcio Madeira, 72), Diogo Silva, Hugo Luz, Carlos, Hernani (Fábio Gomes, 55), Neca, Gonzalez (Matthew, 61), Harramiz e Adelaja.

Suplentes: Bento, Kiki, Ventosa, Matthew, Bruno Carvalho, Fábio Gomes e Márcio Madeira.

Treinador: Pedro Correia.

Árbitro: Pedro Vilaça (Porto).

Ação disciplinar: Cartão amarelo para Wei (02), Diogo Silva (37), Carlos (55), Hugo Luz (70), Alan Mota (72), Fábio Santos (73), Anderson (77) e Harramiz (85). Cartão vermelho direto para Adelaja (88).

Assistência: Cerca de 500 espetadores.

Fonte: Fonte: http://www.record.xl.pt
http://scfarense1910.blogspot.pt/

Câmara da Vidigueira atribui 55 mil euros a associações


A Câmara de Vidigueira procede esta sexta-feira, 19, à entrega de subsídios às associações culturais e desportivas do concelho, num investimento de cerca de 55 mil euros.
A iniciativa, inserida da política municipal de apoio ao associativismo, tem lugar pelas 18h00, no salão nobre da autarquia.

Fonte: http://www.correioalentejo.com/

Jogo de Preparação


Fem. sub-19: Rússia mais eficaz

A Seleção Nacional feminina sub-19 perdeu, esta quinta-feira, em Nelas, por 0-1 diante da Rússia, no último jogo do I Torneio de Apuramento para o Europeu.

Futebol Fem. - Sub-19
Num jogo pautado pelo equilíbrio, a Rússia acabou por garantir a vitória e o primeiro lugar do grupo 8 do I Torneio de Apuramento para o Campeonato da Europa.
Belomyttseva (15') apontou um golo madrugador e a equipa de Leste segurou a vantagem no marcador até ao final do encontro, embora a formação das Quinas tenha dado sempre boa réplica, sem nunca baixar os braços e a manter uma atitude competitiva séria.
O segundo lugar do agrupamento assegura à equipa orientada por José Paisana a qualificação para a Ronda de Elite.
Clique aqui para consultar a tabela classificativa do grupo 8 do I Torneio de Apuramento para o Campeonato da Europa Israel'2015.
José Paisana em discurso direto: "Quero dar, em primeiro lugar, os parabéns às minhas jogadoras. Tiveram muita vontade de ganhar, embora não tenhamos conseguido esse objetivo. Tivemos alguma ansiedade na parte inicial do jogo, a equipa adversária apresentou-se muito combativa e acabámos por não ter bola. Esse facto criou-nos alguma dificuldade em alguns momentos da primeira parte e não conseguimos fazer o que sabemos bem: atacar a baliza em função da posse de bola que costumamos ter. Na segunda parte melhorámos muito, retificámos algumas coisas, ocupámos o espaço central do meio-campo da equipa russa. Os primeiros 25 minutos da segunda metade foram bons e controlámos o jogo. Poderíamos ter rematado mais vezes à baliza mas julgo que, pelo que fizemos, pela vontade que tivemos de ganhar, julgo que seria justo dividirmos os pontos."
"Fizemos um apuramento muito positivo. As jogadoras empenharam-se, perceberam qual era a mensagem e isso confirmou-se hoje. Quiseram sempre ganhar, foram uma equipa positiva e, portanto, estamos de parabéns por este apuramento. É nestas dificuldades que as atletas conseguem crescer e ficar melhores. É nos jogos complicados, onde encontramos adversidade, que elas realmente se preparam.Julgo que esse fator é extremamente importante. As jogadoras evoluíram e estaremos, concerteza, no II Torneio de Apuramento em melhores condições."
Ficha de jogo
Campeonato da Europa Feminino Israel 2015
Primeiro Torneio de Qualificação (Grupo 8) - 3.ª Jornada 
Estádio Municipal de Nelas

Árbitra: Marija Kurtes (Alemanha)
Árbitras auxiliares: Christina Jaworek (Alemanha) e Lucia Abruzzese (Itália)
Quarta árbitra: Valentina Garoffolo (Itália)

Rússia 1-0 Portugal (1-0 ao intervalo)

Rússia: Ananyeva; Belomyttseva, Smirnova, Lipatova, Chernova, Kolesnikova, Chernomyrdina - Cap., Aniskina, Berezina, Tyryshkina e Andreeva.
Suplentes: Scherbakova, Dazhinikashvili, Elagina, Kalinina, Tupikina, Simanovskaya e Bocharkina.Treinador: Aleksandr ShagovGolos: Belomyttseva (15').
Disciplina: cartão amarelo a Chernova (24'), Smirnova (61'), Lipatova (68'), Chernomyrdina (87') e Ananyeva (90+1').
Portugal:  Tatiana Beleza (Sara Moreira, 79'), Sara Monteiro, Matilde Figueiras, Inês Silva, Joana Marchão, Andreia Norton, Fátima Pinto, Cláudia Lima, Vanessa Marques - Cap., Bárbara Azevedo (Carolina Ferreira, 63') e Francisca Cardoso.
Suplentes: Sara Moreira, Sofia Silva, Nadine Cordeiro, Patrícia Oliveira, Carolina Silva e Cláudia Tecedeiro.Treinador: José PaisanaGolos: nada a assinalar.
Disciplina: cartão amarelo a Sara Monteiro (18'), Fátima Pinto (80').
Fonte: FpF.PT

Filipe Ramos: “Apuramento é o objetivo”

O técnico dos sub-17 reconhece a importância de vencer o primeiro jogo no torneio de apuramento.

Futsal - Sub-17
A Seleção Nacional sub-17 inicia, na sexta-feira, o primeiro torneio de apuramento para o Campeonato da Europa Bulgária 2015.

A Equipa das Quinas joga, na Eslovénia, diante da República da Irlanda do Norte, e o técnico Filipe Ramos reconhece a importância de iniciar a competição a vencer, sabendo das dificuldades que os opositores irão criar.

“Estamos conscientes que temos de fazer um bom torneio para seguirmos para a próxima fase de qualificação. Queremos estar ao nível que já conseguimos atingir anteriormente, nomeadamente no Torneio Internacional de Inglaterra, para nos podermos apurar para o segundo torneio de apuramento do Campeonato da Europa. Esse é o nosso objetivo. A preparação tem decorrido dentro da normalidade e estamos preparados. Sabemos das dificuldades que teremos pela frente, pois as outras equipas também têm esse objetivo. É muito importante a forma como entramos neste tipo de competição. Muitas vezes é mesmo determinante.”

Apesar de não ter tanta informação como gostaria sobre a formação da Irlanda do Norte, Filipe Ramos explicou que espera um adversário muito disponível fisicamente. 

“Estamos, essencialmente, focados naquilo que podemos fazer e no rendimento que podemos atingir neste torneio. A Irlanda do Norte deverá apresentar a agressividade competitiva que normalmente evidencia nos escalões de formação. Têm normalmente equipas fisicamente disponíveis que nos podem causar problemas se não estivermos concentrados e focalizados no objetivo de bater o nosso adversário.”
O técnico considera que Portugal terá sucesso “se estiver ao nível apresentado no Torneio Internacional de Inglaterra”. 
“Sabemos que são torneios diferentes, que implicam cargas emocionais diferentes, mas se conseguirmos estar a esse nível vamos, claramente, passar à segunda fase”
Filipe Ramos considera que a equipa está na máxima força.
“Temos um grupo alargado nos sub-17. Há jogadores que não estão presentes por lesão ou por opção, mas contamos com um lote de excelentes jogadores. Para este torneio, contamos com aqueles que consideramos ser os melhores jogadores no momento. Os jogadores estão focados num objetivo e preparados. Queremos muito ganhar o jogo de amanhã diante da Irlanda do Norte.
Fonte: FpF.PT

Soluções em “banho-maria”



Seis dos 10 clubes filiados na Associação de Atletismo de Beja analisaram a atual crise diretiva da referida associação, onde o executivo de Amélia Vaz decidiu permanecer por mais 30 dias.

Texto e fotos Firmino Paixão

O Beja Atlético Clube, o Bairro da Conceição, o Messejanense e o Núcleo Sportinguista de Moura foram os clubes ausentes da reunião magna do atletismo regional, com uma agenda eleitoral que, previamente, se sabia que não seria cumprida por falta de candidaturas, mas onde se discutiu o futuro daquele órgão associativo. 
Mais notadas as ausências dos emblemas de Beja pelo peso que têm na estrutura, mas não foi por esse alheamento que a reunião deixou de discutir consensualmente as propostas apresentadas: a extensão do mandato dos atuais órgãos sociais por mais 30 dias, permitindo a convocação de mais uma assembleia eleitoral e, persistindo a ausência de candidatos, a formação de uma comissão diretiva representativa dos vários filiados. 
No final da reunião a presidente ainda em exercício, Amélia Vaz, referiu: “Não sou pessoa de bater com a porta, nem de virar as costas, estou cansada, foram seis anos e, além disso, uma lista não é apenas a direção, são mais elementos e hoje em dia, no associativismo, toda a gente está disposta a criticar, mas para trabalhar ninguém quer dar a cara”. 
Amélia Vaz revelou ainda: “Saio com a consciência tranquila de que fizemos, não fui só eu, foi a direção, fizemos trabalho, demos o nosso melhor, deixámos a casa muito bem arrumada para quem vier a seguir e posso mesmo dizer que temos as contas todas em dia, portanto, estamos limpinhos para que, quem vier a seguir, possa trabalhar tranquilamente”.
Raul Lourenço, presidente do Núcleo Desportivo e Cultural de Odemira, anunciou: “Não trazia nenhuma proposta, o núcleo já dá muito trabalho, estamos disponíveis para fazer com que a associação consiga ter um corpo diretivo para que a época desportiva corra da melhor forma, que haja quórum e consenso, porque o atletismo distrital não pode parar”.
Maria Santos, atleta do Beja Atlético Clube e membro da direção cessante, confessou: “É com alguma tristeza que vejo o que está a acontecer, este foi um ano com algumas lutas, mas temos que nos unir, com firmeza, para mantermos a nossa associação em atividade e não a deixarmos cair”. A atleta escusou-se a comentar a ausência do seu clube, mas assegurou estar convicta de que “a época decorrerá normalmente”: “Vou manter a minha atividade como atleta do Beja Atlético Clube, mas estarei disponível para integrar uma nova solução para os órgãos sociais, se para tal for convidada. Não serei eu o problema, contribuirei sempre para uma solução”. 
António Casaca, presidente da assembleia-geral, disse conhecer o historial dos atos eleitorais para a associação, pelo que não o surpreende esta ausência de candidaturas: “Os clubes só olham para o seu próprio conforto e os aspetos associativos, que deviam interessar ao coletivo, ficam para trás. Mas sem um órgão associativo que os enquadre os clubes não serão nada”. Casaca recordou ainda: “Esta associação é um órgão que criou um estatuto de líder de todas as associações regionais do interior do País, que tem tido uma preponderância na liderança do atletismo alentejano, mas para que isto se mantenha é preciso que existam líderes e, neste momento, eles não existem”. 
Assegurando que a época desportiva não está em risco e que a situação financeira da associação é equilibrada, Casaca disse ainda: “Pelo menos esta assembleia-geral teve uma coisa positiva que foi a presença de seis clubes entre os 10 filiados, o que demonstra que existe já alguma inquietação e a consciência que algo de muito grave acontecerá se não existir uma associação neste distrito”. Casaca concluiu dizendo: “Foi uma reunião pacífica, consensual, procuraram-se soluções e vai ser marcada uma nova assembleia”.
Fonte: http://da.ambaal.pt/

O lado positivo da doença


Não a queremos connosco, mas ela não pede permissão para ficar do nosso lado. Chega em silêncio! Um silêncio traiçoeiro. Não se manifesta, mas agarra-se, como lapa no rochedo, e decide ficar para sempre. 

Texto Firmino Paixão Foto APDP

Não nos limita, mas condiciona-nos, obriga-nos a conhecê-la e a saber lidar com ela. A diabetes! Uma doença que reduz ou elimina a produção de insulina no pâncreas e inibe a lubrificação das células pela glicose do sangue. É preciso sabermos viver com a diabetes, tornarmo-nos mais atentos, mais vigilantes, às vezes mais saudáveis, porque mais precavidos e despertos para outras doenças. 
O desporto é aqui, mais uma vez, essencial, cria obstáculos e hábitos adversos ao seu crescimento, contraria a obesidade, sugere e promove estilos de vida saudável e uma alimentação adequada. 
Venâncio Jonas tem 27 anos, nasceu em Fernandes, uma povoação seis quilómetros a oriente da vila de Mértola. Jonas, como é conhecido no seu povoado, tem uma licenciatura em Fisioterapia, mas o desemprego atingiu-o tempos depois de lhe ter sido diagnosticada a diabetes. Acabou de chegar da Hungria, onde participou no Diaeuro, o Campeonato Europeu de Futsal para Diabéticos, em que Portugal participou pela segunda vez, uma experiência que o tornou ainda mais feliz: “E mais completo do que me sentia antes, um pouquinho triste por não termos conseguido chegar mais longe, mas foi uma experiência única, e muito motivante, que faz com que se encare a vida de outra forma”. 
E como terá chegado Jonas a esta equipa da Associação Protetora dos Diabetes de Portugal, que foi à Hungria representar o País lá fora? O jovem explicou: “Portugal estreou-se em 2013 na Croácia, eu vi na Internet notícias dessa participação, contactei com um elemento da equipa que me ajudou, comecei a ir aos treinos de captação, o treinador gostou de mim e acabei por entrar na convocatória final”. E em boa hora porque a prestação até foi prestigiante, o 4.º lugar entre 16 equipas: “Tínhamos uma ambição maior, toda a gente disse que a nossa equipa deste ano era mais forte, contudo as outras também se apresentaram mais fortes”. Por isso a experiência foi algo de entusiasmante na vida do alentejano Jonas: “Foi motivadora, principalmente no sentido de sermos todos diabéticos, e porque o principal objetivo da prova é mostrar às pessoas que os diabéticos não são uns coitadinhos, como muitas vezes os tratam. Temos esse problema, mas se for controlado, teremos uma vida perfeitamente normal e conseguiremos fazer tudo o que as outras pessoas fazem, inclusive desporto de alta competição. O Diaeuro é um alerta para que as pessoas percebam que não é só o vizinho que tem, não é só o amigo da escola que tem, mas que nós também podemos ter”. Ou seja, por ser diabético, podia ter sido campeão europeu de futsal: “Costumo dizer que temos que encontrar sempre algo positivo, entre tudo o que de negativo nos acontece e, neste caso, o facto positivo foi a diabetes ter-me levado à Hungria para representar o meu país. Sinto-me muito orgulhoso disso”.
Venâncio Jonas descobriu ocasionalmente que era diabético “quando andava na universidade”: “Fiquei intolerante a muitos alimentos e a consequência da intolerância alimentar era a diabetes. Foi tudo muito rápido”, conta. E resignou-se, confessou: “No início não foi muito chocante porque eu andava há muitos meses doente e estava à espera que me diagnosticassem alguma coisa. Mas um ano e meio depois estive um pouco em baixo, andei deprimido, o choque que não tive inicialmente veio depois, mas a vida é assim e há duas opções, ou aceitar a insulina para me tratar ou então mudar isso e esperar que o tempo me leve. Mas é óbvio que estou disponível para aceitar o tratamento e faço a minha vida normal sem qualquer problema”. Nem mais Jonas! Ele que em miúdo foi treinar ao Benfica: “Na altura não havia centro de estágio, os meus pais recusaram-se a ir viver para Lisboa e eu fiquei por cá. Fui atleta da seleção sub/15 de Beja no Lopes da Silva, aos 15 anos lesionei-me num joelho, mas só fui operado aos 20 anos. Tratei-me, voltei ao futebol, joguei no Rosário e no Almodôvar. Estou a pensar regressar”. 
Enquanto isso não sucede, na comunidade onde vive, Jonas tenta ser pedagógico para com as pessoas, usa o seu exemplo e sugere atitudes preventivas da doença, contudo, recorda: “Um ano depois de ter a diabetes disse que queria ser livre e fazer de tudo um pouco, e várias pessoas me diziam, ‘isso é perigoso, tu és diabético, tens uma quebra e isto e mais aquilo…’ nada disso! Com a diabetes controlada e a insulina certa temos uma vida perfeitamente normal, até existem atletas olímpicos que são diabéticos”. E que também sonham em “arranjar um emprego e, no próximo ano, provavelmente, na Roménia, ser campeão da Europa de Futsal”.  Para o final ficaram os seus agradecimentos ao treinador Paulo Gonçalves e à Associação de Jovens Diabéticos de Portugal.
Fonte: http://da.ambaal.pt/

Vamos lá ganhar…



A quarta jornada do Campeonato Nacional de Seniores joga-se neste fim de semana, com a formação do Moura a voar até à ilha de São Miguel e o Aljustrelense a jogar em casa com o Lusitano de Vila Real.

Texto e foto Firmino Paixão

Este campeonato não tem jogos fáceis e nem sempre o facto de jogar em casa vaticina favoritismo e ponto final. Temo-lo visto nestas primeiras jornadas da prova. O Operário de Lagoa (São Miguel), formação que durante sete anos foi treinada por Francisco Agatão, vai receber o Moura. Os insulares não se apresentaram, há oito dias, em Vila Real de Santo António para cumprirem o jogo da terceira ronda, por dificuldades de voo entre os Açores e o continente, pelo que o 7.º lugar que atualmente ocupam na tabela diz respeito, apenas, às duas primeiras jornadas (derrota 2-0 em Angra e vitória 1-0 sobre o Quarteirense). 
Bruno Ribeiro, técnico do Moura, comentou a deslocação dizendo: “O Operário costuma ter sempre equipas bem organizadas e com bons valores, será um jogo difícil, mas preparámos o jogo da melhor maneira e vamos procurar trazer os três pontos para a cidade de Moura”.
O Aljustrelense joga em casa com o Lusitano de Vila Real de Santo António, uma equipa que abriu o campeonato a perder em Quarteira (0-1 de grande penalidade) e depois empatou em casa com o Moura (0-0). Tem apenas um ponto, mas o sistema de jogo idealizado pelo técnico Ivo Soares fecha muito bem a equipa sobre a sua baliza. O Aljustrelense está a braços com castigos e lesões, ainda assim, e porque ainda não pontuou, nem marcou qualquer golo, vê-se na contingência de brindar os seus adeptos com algo melhor do que fez até aqui. E o melhor é vencer. Por isso, Francisco Agatão diz: “Temos que encarar o jogo com muita determinação, temos limitações no plantel e o Lusitano é uma equipa muito forte fisicamente e eficaz em lances de bola parada, joga com o bloco muito baixo e sai bem no contra ataque”.
Do último fim de semana vem essa jornada fatídica em que ambos foram derrotados e sofreram baixas nos respetivos conjuntos. O Mineiro sofreu dois golos de bola parada em Quarteira, perdeu o médio Estebaínha e o guardião Fábio Reis, por lesão, e perdeu Daniel Correia e Wilson, ambos expulsos. O Ferreiras impôs ao Moura a primeira derrota da era Bruno Ribeiro, com um “frango” do guardião Igor e um autogolo de Mamadi e Tó Miguel foi expulso por acumulação de cartões amarelos. O curioso é que uma e outra equipa chegaram ao intervalo com os marcadores em branco e o segundo tempo é que foi madrasto para ambos.


Resultados da 3.ª jornada: Angrense--Louletano, 2-1; Quarteirense-Aljustrelense, 2-0; Lusitano VRSA-Operário (adiado); Reguengos-Praiense, 0-1; Moura-Ferreiras, 1-2. Classificação: 1.º Angrense, nove pontos. 2.º Ferreiras, seis. 3.º Quarteirense, seis. 4.º Praiense, seis. 5.º Moura, quatro. 6.º Reguengos, três. 7.º Operário, três. 8.º Louletano, três. 9.º Lusitano VRSA, um. 10.º Aljustrelense, zero.
Próxima jornada (21/9): Operário-Moura; Aljustrelense-Lusitano VRSA; Louletano- -Quarteirense; Praiense-Angrense; Ferreiras-Reguengos.
Fonte: http://da.ambaal.pt/

Os últimos ensaios…


Com a próxima época desportiva já em pano de fundo, o 13.º Torneio de Futebol da Rádio castrense sobe este fim de semana ao relvado principal do Estádio Municipal 25 de Abril, na vila de castro Verde.
O torneio vai, uma vez mais, homenagear e evocar a memória de José António castilho, antigo e dedicado colaborador do departamento desportivo daquela emissora local, que emite desde castro Verde. A prova é, habitualmente, dirigida a equipas da área geográfica do denominado “Campo Branco”, no entanto, e pela segunda vez consecutiva, o Cabeça Gorda será a exceção, uma vez que foi sempre aquele o clube de eleição do antigo repórter desportivo, a quem se dedicou, primeiro como atleta e depois como dirigente. 
O Futebol Clube castrense, o Clube de Futebol São Marcos e Clube de Futebol Guadiana (Mértola) são os restantes clubes convidados a discutir o troféu, com um quadro de jogos com a duração de 60 minutos, a cumprir em duas partes.
Na primeira jornada, que se cumpre a partir das 16 horas deste sábado, o São Marcos jogará com o Guadiana, seguindo o jogo entre o castrense e o Cabeça Gorda. No domingo o programa abre também às quatro da tarde com o jogo entre as equipas vencidas na ronda anterior e cerca das 17 e 30 horas disputar-se-á a final do torneio.
Fonte: http://da.ambaal.pt/